3 de julho de 2004

Entardecer


(a Sophia de Mello Breyner Andresen)

pairando nos reflexos do poente
a face cristalina da poesia

abraça o horizonte num lamento
perdida numa estranha nostalgia

e um eco singular rasga a falésia
vibrando em dolente melodia

é o verde dos pinhais a voz do mar
chamando mansamente por Sophia

Sem comentários:

Enviar um comentário