5 de fevereiro de 2006

jardinagem

jardinage.jpg

um espinho de roseira
rasga o dorso da tarde

solta-se a terra das botas
no canteiro das horas

e há uma semente perene
germinando entre os dedos

uma flor de névoa
amornando os lábios

um alfobre de ilusões
cantando aqui e agora

- é com as rugas da face
que se aduba a fantasia

2 comentários:

  1. " é com as rugas da face
    que se aduba a fantasia"

    ResponderEliminar
  2. Já não vinha aqui há tanto tempo e ainda bem que voltei a espreitar este sítio: os seus poemas são mesmo muito bonitos. Gosto.

    ResponderEliminar